Menu

Pergunta: “Tenho mais de 35 anos e ainda estou solteira, o que fazer?”

Pergunta: “Todas as minhas amigas estão em bons relacionamentos ou pelo menos comprometidas. Comigo isso não acontece. Não sei se sempre escolho o cara errado, se o medo de ser rejeitada fala mais alto ou sei lá. Já passei dos 35 anos e não gostaria de continuar na solidão. O que posso fazer?”

Resposta: Algumas pessoas estão solteiras porque preferem ficar assim. Não estão interessadas em um relacionamento em determinado momento de suas vidas. Outras estão solteiras por motivos diferentes. São pessoas que podem ter acabado de sair de um compromisso sério ou simplesmente não conseguem encontrar alguém compatível para uma relação firme e duradoura.

Quando o assunto é paquera e relacionamentos, é muito fácil se sentir uma vítima, com pensamentos do tipo: “Nada do que eu faço dá certo” ou então “Nunca vou encontrar alguém”. É claro que isso é um exagero na maioria dos casos. A verdade é que qualquer um tem o poder de mudar sua realidade amorosa.

Se você está procurando e não consegue encontrar um namorado, pode escolher um dos dois caminhos a seguir: 1 – Se fazer de vítima e desistir dos relacionamentos, dando as costas para eventuais problemas que possa ter. 2 – Se questionar porque isso está acontecendo e realmente encarar os problemas de frente.

O autoconhecimento é a base da saúde emocional. É preciso um olhar interno sem preconceitos para começar a enfrentar o desafio. Mas quais são os problemas que estariam te atrapalhando? Existem vários por ai. Boa parte deles pode estar ligado a medos e inseguranças. São estes que vou tratar no post de hoje.

Autodefesa
Todos nós já nos magoamos em relações interpessoais. Quando tais experiências se acumulam, o indivíduo se torna amargo – por mais que isso não seja uma regra, é claro. E este processo pode começar bem antes de qualquer relação amorosa.

Na própria infância isso acontece, quando as interações sociais resultam em sofrimento. Assim, levantamos muralhas internas ou então passamos a observar o mundo com um filtro, gerando impactos negativos na vida adulta. Essas adaptações podem nos tornar cada vez mais fechados, pois a vulnerabilidade se torna uma ameaça. Isso afeta diretamente a busca por relacionamentos amorosos.

Atração pelo “tipo errado”
Um dos resultados da autodefesa é que podemos escolher parceiros longe do ideal para nós. Um dos mecanismos de autoproteção é justamente a escolha por pessoas que não estão disponíveis emocionalmente. Como este processo é inconsciente, é normal colocarmos a culpa na outra pessoa pelo fracasso na relação. Mais uma vez nos sentimos mal por outra rejeição sem notar a própria parcela de culpa.

Baixa autoestima
Muitas pessoas sonham com um bom relacionamento mais do que qualquer outra coisa. Elas acreditam cegamente nisso, mas ao mesmo tempo acham que ninguém que valha a pena terá interesse por elas. A falta de confiança resulta em um fechamento tanto sentimental como físico, o que leva ao item seguinte.

Isolamento e rotina
Com a idade, as pessoas tendem a ficar encolhidas cada vez mais em sua zona de conforto. Uma bolha cada vez mais grossa e difícil de se livrar. Após um longo dia de trabalho é mais fácil colocar o pijama e ir direto para cama. O mesmo no fim de semana. É muito mais seguro/prático fazer isso do que entrar em um ambiente que provoca ansiedade e gera incertezas no meio de tanta gente, não é?

Essa voz interna que te manda ficar dentro de casa é a mesma que depois te fará sentir mal por estar sozinha. Não fique em casa. Fuja da rotina! A zona de conforto muitas vezes te impede de perseguir o que você realmente deseja.

Encontrar o amor não é fácil. Mas é sempre melhor buscá-lo quando você se conhece. É importante lutar contra os padrões negativos que nos impedem de conseguir o que sempre sonhamos. Todos nós temos falhas e vulnerabilidades, ainda mais quando ficamos próximos de outros indivíduos. Mas aprender a lidar com isso é o primeiro passo para virar o jogo.

Categories:   Aconselhamento, Dúvidas

Comments