Menu

Pergunta: “Estou num relacionamento abusivo, o que fazer?”

Resposta: “Tenho observado uma tendência: pessoas que sofrem em relacionamentos abusivos colocam o agressor acima de si mesmas.”

Primeiro, deixe-me definir o que quero dizer com “relacionamento abusivo”. Não me refiro apenas aos abusos óbvios como agressão física ou violência doméstica. Relacionamento abusivo é onde seu parceiro ou parceira consistentemente lhe desrespeita e fere como pessoa. Alguns exemplos, entre outros, incluem:

  • Traições reais ou virtuais
  • Mentiras
  • Chantagens emocionais
  • Uso indevido do seu dinheiro sem se esforçar para ganhar o próprio
  • Exigências sexuais egoístas e contra a sua vontade
  • Táticas de intimidação
  • Ameaças
  • Vícios que lhe colocam em risco
  • Total controle sobre sua vida
  • Isolamento de amigos e familiares
  • Abuso emocional, como ataques verbais, bullying e humilhações
  • Usar seu amor pelos filhos para conseguir o que quer de você
  • Se aproveitar que você é apaixonado(a) e ameaçar romper o relacionamento caso você não cumpra alguma exigência

Homens e principalmente mulheres sofrem em relacionamentos abusivos assim todos os dias. O mais intrigante, porém, não é a maldade do agressor e sim a cumplicidade da vítima. É algo doentio porque parece que ela não consegue ver que virou escrava do abusador.

Se você está em um relacionamento assim, é hora de abrir os olhos e despertar para a realidade. Uma das condições básicas para estar em um relacionamento é conhecer seu próprio valor. Para isso você precisa se priorizar, quer dizer, se colocar em primeiro lugar, antes da outra pessoa.

O próprio Deus disse que temos de amar nosso próximo como a nós mesmos. Quer dizer, se você não se ama, não está em condições de amar outra pessoa.

Quando você não se prioriza, as outras pessoas podem tirar vantagem de você. E é isso que acontece em relacionamentos abusivos. O abusador “sente o cheiro” da baixa autoestima da vítima e usa isso contra ela.

Pessoas abusivas são freqüentemente, elas mesmas, sobreviventes de abuso. O comportamento abusivo pode variar desde o abuso emocional, verbal, até o físico e sexual. Freqüentemente uma pessoa abusiva emocionalmente é também abusiva verbalmente ou uma combinação de todos os tipos acima. Sinais de uma pessoa abusiva podem usualmente ser encontrados depois de alguns momentos no início da relação, se você prestar atenção. Faça muitas perguntas e alguma investigação a respeito do seu passado.

Relações abusivas são caracterizadas por jogos de controle, violência, ciúmes, abstinência sexual e frieza emocional. É difícil identificar uma pessoa abusiva. Costuma ser esperta e pode facilmente fazer com que você pense que não é boa/m o suficiente e que tudo é por sua culpa. É tão difícil recuperar-se de um abuso emocional como é de um abuso físico. O abuso emocional provoca baixa auto-estima e depressão. Uma pessoa abusiva pode dizer que ama você e que irá mudar, portanto você não tem que deixá-la. No entanto, quanto mais vezes você a recebe de volta, mais controle ela ganhará sobre você. Promessas vazias tornam-se a norma. Tenha certeza de prestar atenção em suas ações e não apenas em suas palavras. Relacionamentos abusivos nunca são abusivos no início.

Há dez sinais a respeito de uma pessoa abusiva. Se seu/sua parceiro/a apresenta um ou mais desses sinais, reavalie seu relacionamento e procure ajuda ou caia fora.

1. Ciúmes e possessividade – É ciumento/a de sua família, de seus amigos, e colegas de trabalho. Tenta isolar você. Um homem abusivo vê as mulheres e suas crianças como sua propriedade em vez de indivíduos únicos. Acusa você, sem razão, de traição ou de flertar com outros homens. Pergunta onde você estava e com quem estava de uma maneira acusadora.

2. Controle – uma pessoa abusiva exige abertamente que seu tempo e você sejam o centro de sua atenção. A pessoa controla as finanças, o carro, e as atividades que praticam juntos. Torna-se raivoso/a quando você começa a mostrar sinais de independência ou força.

3. Superioridade – a pessoa abusiva sempre está certa, tem que ganhar sempre ou estar no comando. Ela sempre justifica suas ações de modo a estar sempre “certa” para você e os outros. Um abusador/agressor irá falar de cima para baixo com você e te xingará, a fim de sentir-se melhor. O alvo dele é fazer você sentir-se fraca/o de modo que ele/ela possa ter poder. Abusadores são frequentemente inseguros e seu poder faz com que se sintam melhor a respeito de si mesmos.

4. Manipulação – o abusador/agressor lhe diz que você é louca/o ou estúpida/o de modo que a culpa caia sobre você. Ele tenta fazer você pensar que o que ele/ela faz é sua culpa. Diz que não pode fazer nada quanto a ser abusivo de modo que você sinta a pena dele e continue tentando ajudá-lo. Mas diz aos outros que você é instável.

5. Mudanças de humor – o seu humor muda de agressivo e abusivo para uma aparência humilde, desculpando-se e tornando-se amoroso/a depois que o abuso aconteceu.

6. Suas ações não correspondem a suas palavras – ele/a quebra promessas, diz que ama você e depois abusa de você.

7. Pune você – uma pessoa abusiva emocionalmente pode privar você de sexo, de intimidade emocional, ou joga um jogo silencioso como punição quando ele/ela não consegue as coisas do seu jeito.

8. Não quer procurar ajuda – o agressor não pensa que alguma coisa está errada com ele então porque ele precisa de ajuda? Ele não reconhece suas faltas ou culpa sua infância e circunstâncias exteriores.

9. Desrespeita as mulheres – o homem agressor demonstra falta de respeito em relação a sua mãe, irmãs, ou qualquer mulher em sua vida. Pensa que as mulheres são estúpidas e sem valor.

10. O homem agressor muitas vezes tem uma história de abuso a mulheres, ou a animais, ou foi abusado ele mesmo – Agressores físicos repetem seu padrão e procuram pessoas que são submissas e possam ser controladas. O comportamento abusivo pode ser uma disfunção geracional e pessoas que sofreram abuso têm uma grande chance de se tornar agressores. Homens que abusam de animais são mais capazes de abusar de mulheres também.

Se você continua em um relacionamento abusivo porque pensa que ele mudará e que o agressor começará a te tratar bem, pense novamente. Um homem abusivo não muda sem uma terapia de longo prazo. Sessões de aconselhamento em grupo podem ser particularmente boas em ajudar um homem abusivo a reconhecer seu padrão abusivo. Drogas e álcool podem criar ou aumentar o abuso em um relacionamento. Os grupos de ajuda mútua como Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos são programas excelentes para um adicto. A esposa de um abusador deverá enfrentar um grupo de co-dependência.

Se o homem abusivo não estiver disposto a procurar ajuda, então você deve começar a agir para proteger a si mesma e os filhos saindo de casa. Se você estiver com medo de não ser capaz de sobreviver por conta das finanças, comece a procurar ajuda, buscando a família, amigos, e descubra como eles poderão ajudá-la. Uma vez que você tenha saído, o abusador pode chorar e pedir perdão, mas não volte atrás sem procurar ajuda e sem ele completar uma terapia de longo prazo bem-sucedida. Esteja preparada para o aumento da pressão pelo abusador, pois ele perdeu o controle. Se o seu parceiro não está desejoso de procurar ajuda para seu comportamento abusivo, a sua única opção é sair fora.

O que fazer se você está em um relacionamento assim?

  1. Reconheça que tem sido abusado(a)
  2. Decida que não aceitará mais isso, mesmo que lhe custe o relacionamento
  3. Fale com alguém de confiança e busque apoio para dar um basta neste relacionamento abusivo
  4. “Dar um basta” pode significar desde uma conversa firme com o parceiro para colocar suas condições e limites até mesmo a uma separação, ainda que temporária, para que o parceiro mude
  5. Priorize sua segurança e passe a desenvolver o seu senso de valor próprio para não ceder novamente às promessas de mudança sem provas reais que esta aconteceu

As pessoas só nos respeitam quando respeitamos a nós mesmos.

 

Categories:   Aconselhamento, Comportamento, Destaque, Dúvidas, Emoções/Sentimentos

Comments