Menu

Os filhos de Adão e Eva no Jardim do Éden

Adão e Eva tiveram filhos no Éden? Quanto tempo (anos) eles viveram no Éden?

Estas e outras perguntas têm mexido com a mente teológica e motivo de questionamento de céticos. Quero esclarecer que vou abordar um assunto da maior profundidade teológica com temor, mas sem tremor.

Vou mostrar o que entendi e discerni.

Usei as seguintes Bíblias:

  • Bíblia Jerusalém;
  • Bíblia Pastoral;
  • Bíblia Ave Maria;
  • Bíblia Revista e Atualizada – Almeida;
  • Bíblia Revista e Corrigida Fiel – Almeida;

Esta informação é para quem deseja acompanhar á luz da Bíblia.  A Bíblia não é um livro comum. Ela contém verdades encobertas por determinação Divina.

Entre essas verdades está uma questão que mexe com a mente dos Teólogos: Adão e Eva tiveram filhos ou filhas no Paraíso (Éden)?

Quantos anos eles viveram no Paraíso? Éden?

A Bíblia não tem respostas claras e literais, entretanto logo após serem criados, Deus deu-lhes ordens para serem fecundos e multiplicarem-se, enchendo a terra – “Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei [a terra] e sujeitai-a…” (Gn 1,28). Deus disse: “enchei a terra”. Não disse “enchei o Éden”.

Adão e Eva foram criados no sexto dia. Logo em seguida Deus descansou no sétimo dia.

Do exposto fica mais a seguinte indagação: um dia era apenas 24 horas ou um período indeterminado de tempo. Pedro em sua 2ª. Carta diz – “Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como [mil anos], e [mil anos] como um dia.”

Se 24 horas como responder aos cépticos e a Ciência?

Se um período indeterminado de tempo, então Adão e Eva tiveram amplas possibilidades de terem filhos no Paraíso (Éden).

O detalhe mais significativo e que não deve ser motivo de escândalo sobre os filhos de Adão e Eva no Éden, está na ordem de Deus para que eles fossem fecundos e se multiplicassem e enchendo a terra – “Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei [a terra] e sujeitai-a…” (Gn 1,28).

Esta ordem foi antes de serem expulsos pela desobediência, logo, eles foram criados adultos e com todo vigor para o sexo.

O relacionamento sexual de Adão e Eva no Éden, transcende o nosso entendimento, pois trata-se de algo vivido num estado de pureza e santidade, que hoje, a humanidade não tem.

Que fizeram sexo no Éden e tiveram filhos, eu não tenho a menor duvida, conforme vou mostrar contextualizadamente e paulatinamente.

São muitas as evidencias de que houve um longo período Edenico, porem não registrado literalmente por Deus, mas sim, enigmaticamente.

Outra questão intriga a tantos quantos procuram uma explicação para o texto Bíblico de Gn 6,2.4 – “viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Naqueles dias estavam os nefilins na terra, e também depois, quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Esses nefilins eram os valentes, os homens de renome, que houve na Antigüidade.” – que faz menção de filhos de Deus e filhas dos Homens.

Como em muitos outros assuntos em que os textos não estão em ordem, isto é, separados de forma enigmática, este também pode ter sua resposta ou explicação fazendo uma ligação dos filhos de Deus em Gn 6,2.4, como resposta de que são filhos de Adão e Eva no Paraíso (Éden).

A Bíblia os chama filhos de Deus como forma de diferenciá-los dos filhos gerados fora do Paraíso (Éden), isto é, após a queda de Adão e Eva, chamados então de filhos / filhas dos homens.

Porque Deus não inspirou o registro dos filhos / filhas de Adão e Eva no Éden?

Por se tratar de um período transcendental. Deus o registrou de forma enigmática como vamos ver a seguir.

O texto de Gn 4,17 –  “Conheceu Caim a sua mulher, a qual concebeu, e deu à luz a Enoque. Caim edificou uma cidade, e lhe deu o nome do filho, Enoque.” – pode conter a confirmaçao sobre filhos / filhas de Adão e Eva no Paraíso – Éden, quando diz que Caim conheceu sua mulher.

Tudo indica, que se trata de uma descendente de descendente de Adão e Eva do período Edenico, que certamente não conhecia sua Historia, pela distancia, já que Caim afastou-se para longe, após matar seu irmão Abel.

Com certeza você deve estar questionando, para não dizer outra coisa, as minhas colocações, mas continue lendo, por favor!

Observe:

Gn 3,16 – “…E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua conceição; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.” – Deus disse para Eva que ela a partir daquele momento teria as dores de sua gravidez multiplicada e em dores daria a luz, numa declaração lógica de que ela o fazia com uma natureza diferente da atual – ou não?!

Ao afirmar que multiplicou é sinal de que partiu de um patamar já existente. Só se multiplica o que tenha acontecido ou acontecendo.

Somente este texto tem levantado muita polemica  a favor de que houve nascimento de filhos no período Edenico. Não deixa duvida que antes de Caim e Abel nascerem, Eva já tinha experimentado gravidez sem dor, sem problemas, gestação e nascimento que não se compara com as atuais;

Vou lembra o que Deus disse para Adão e Eva – “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra” – Gn 1,28.

FECUNDOS: Que tem a faculdade de produzir ou reproduzir; fértil.

Eu sempre notei uma preocupação em não abordar estes assuntos, nas Igrejas, em face da sua enigmática explicação. Quero deixar claro que faço conscientemente.

Medite em Gn 4,14-45 – “Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar matar-me-á. O Senhor, porém, lhe disse: Portanto quem matar a Caim, sete vezes sobre ele cairá a vingança. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que não o ferisse quem quer que o encontrasse.” – e observe que existiam muitos descendentes de Adão e Eva que foram gerados inicialmente no Período Edenico e que foram se espalhando e multiplicando-se pela terra, conforme Deus ordenou em Gn 1,28 – “enchei a terra”, como explicação para quem pudesse matar a Caim.

Quanto ao tempo que durou o período Edenico, a Arqueologia afirma que os indícios do aparecimento do Homem deu-se  de forma marcante e indiscutível, a partir de  10 mil anos atrás, podendo retroceder a um período maior e indefinido.

A cronologia Bíblica  afirma que Adão e Eva foram criados a partir de cerca de 6 mil anos atrás.

Dentro desse raciocínio eu não tenho a menos duvida que o período Edenico durou pelo menos 04 mil anos, tempo que Adão e Eva encheram a terra, conforme Gn 1,28, antes de serem expulsos do Éden. A partir da saída do Éden (queda), a terra tem 6 mil anos conforme a Bíblia, mas, lembrando que as datas são aproximados.

Assim podemos de imediato explicar a afirmação de que pudesse matar a Caim em Gn 4,14-15, bem como, a mulher com quem ele se cassou, e, de onde saiu a população necessária e suficientre para fundar uma cidade, por Caim, com toda uma estrutura que a define – “Conheceu Caim a sua mulher, a qual concebeu, e deu à luz a Enoque. Caim edificou uma cidade, e lhe deu o nome do filho, Enoque.”.

MEDITAR:

O Atlas da Historia Universal – The Times – Centro Cultural Banco do Brasil, em sua pagina 12 afirma o seguinte:

“É surpreendente como a agricultura se desenvolveu, aparentemente, de forma independente em diversas zonas do Mundo tão distantes entre elas, e aproximadamente na mesma época. No Oriente Médio por volta de 8.000 aC.; Na china aproximadamente 6.000 aC. Na Mesoamérica ao redor do sétimo milênio… Além disso… foi desenvolvida a criação de animais: ovelhas e cabras, porcos e gados bovinos.”

Estou fazendo esta pausa  no propósito de chamar a atenção para os dados históricos e suas datas que são muito importantes para a compreensão do que afirmo em relação a Arqueologia e a Cronologia Bíblica.

8.000 aC, isto é, a 10.000 anos atrás, a Arqueologia afirma a presença do Homem no Oriente Médio – 8.000 aC. + 2.000 dC. = 10.000 anos.

Oriente Médio – região que a narrativa Bíblica indica como localização do Éden e Jardim do Éden – Gn 2,8-15.

6.000 aC, isto é, a 8.000 anos atrás, na China, numa demonstração de que o homem foi paulatinamente, se espalhando (emigrando) para lugares mais distantes.

7.000 aC., Na Mesoamérica, isto é, a 9.000 anos atrás, do mesmo modo explicado.

Não esquecer que a cronologia bíblica data a criação do homem (Adão e Eva), a aproximadamente a 4.000 aC, Isto é, a 6.000anos atrás, logo não há duvidas de que o Período Edenico durou mais de 4.000 anos, enigmaticamente e de forma transcendental.

Tudo indica que esse período de cerca de 4 (quatro) mil anos entre o aparecimento do Homem comprovado pela Ciência e o registro bíblico (diferença de 10 (dez) mil anos para 6 (seis) mil anos) esta relacionado com o homem (Adão e Eva) no Jardim do Éden, isto é, Adão e Eva ficaram 4 (quatro) mil anos, aproximados, no Éden, enchendo a terra conforme Deus ordenou. Por favor! Não se escandalize com o que vem mais adiante.

GENEALOGIA NÃO REGISTRADA

Quero chamar atenção para um outro detalhe que pode indicar que Adão e Eva tiveram filhos no Paraíso – Éden.

Quando Deus criou o homem em Gn 1,26 Ele disse Imagem e Semelhança.

Em Gn 1,27 Ele enfatiza a Imagem como prova da sua importância.

Em Gn 5,1 Deus diz apenas Semelhança ao iniciar a Genealogia de Adão, após a queda, numa indicação de que houve uma perda do homem em relação a Deus.

Minha dedução é que houve uma descendência ainda no Éden, que Deus não registrou por ser especial, enquanto durou o Éden, e que se espalhou pela terra – “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra” (Gn 1,28).

Porque Deus não registrou a Genealogia Edênica?

– Porque o período Edenico foi transcendental.

– A terra como em todo era um Paraíso.

– Não Havia morte.

– Não havia doença.

– Não havia o mau. O mau estava sobe controle (quede de Lúcifer).

– Os anjos davam proteção contra acidentes e perigos.

– Os Salmos 34,7 – “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.” – e o Salmos 91,10-12 – “nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.”, certamente se explicavam  no Período Edêmico, assim como hoje, se aplicam aos filhos de Deus. Posso afirmar isso com experiência própria quatro vezes.

A arvore do bem e do mau é a representação simbólica  de que o mau existia, mas estava sob controle de Deus

Adão não podia se contaminar com o mau, pois através de Adão o mau contaminaria toda a terra, como aconteceu enigmaticamente – “E ao homem disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei dizendo: Não comerás dela; maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida.” – Gn 3,17; “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram.” – Rm 5,12.

A expressão filhos de Deus – “viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas;” – (Gn 6,2) pode ser a comprovação dessa minha opinião, ao lermos em Gn 6,4 – “Naqueles dias estavam os nefilins na terra, e também depois, quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Esses nefilins eram os valentes, os homens de renome, que houve na antigüidade.” – que os filhos de Deus eram diferentes, ou melhor, eram homens especiais, e geraram filhos especiais.

Do exposto analise o seguinte:

  1. Gn 1,26 – Deus cria um homem à Sua Imagem e conforme a sua Semelhança;
  2. Gn 1,27 – Deus enfatiza a Sua Imagem na criação do Homem (Adão e Eva). Porem, após a Queda (pecado), Ele omite a Imagem quando diz que criou o homem apenas em Sua Semelhança, em Gn 5,1, numa demonstração de que o homem deixou de ser Imagem do criador.
  3. Gn 3,16 – Eva tem modificado a sua gestação e concepção explicada anteriormente. Deus diz para a Eva que ela a partir daquele momento teria as dores de sua gravidez multiplicada e em dores daria a luz, numa declaração lógica de que ela fazia com uma natureza diferente da atual – ou não?! Ao afirmar que multiplicou é sinal de que partiu de um patamar já existente. Só se multiplica o que tenha acontecido ou acontecendo.
  4. Gn 4,1 – “… adquiri um varão com auxilio do Senhor”. Na expressão, ao que tudo indica, Eva passou por situações difícieis após as mudanças nas condições de gravidez, gestação e nascimento podendo estar incluso na expressão em destaque um possível aborto antes de Caim nascer, motivo pelo qual Adão apelou (clamou) ao Senhor, por ajuda.
  5. Gn 4,15-16 – existem pessoas nascidas antes de Caim, para que pudesse matá-lo, onde ele foi habitar, na terra de Node, bem distante do Édem.
  6. Gn 4,17 – Caim casa-se com uma mulher ao qual tudo indica descendente de descendente de Adão e Eva, a ponto de fundar uma cidade.
  7. Gn 5,1 – Deus cita apenas a criação do homem em Semelhança e omite a imagem, numa demonstração de perda material e espiritual do homem em relação a Deus.
  8. Gn – 5,1 – Mostra que havia uma diferença de linhagem (não registrado) caracterizada por filhos de Deus (gerados antes da queda de Adão e Eva) e filhos dos homens (gerados após a queda de Adão e Eva).
  9. Gn 6,4 – A linhagem dos filhos de Deus era especial a ponto de gerar filhos de renomes.

A pergunta que eu fiz e que você também deve estar fazendo:

Quem pecou foi Adão e Eva, como seus descendentes antes do pecado foram atingidos?

Não existe explicação humana para a contaminação que atingiu os descendentes de Adão e Eva nascidos antes da queda, por ser  de natureza transcendental, e por isso, Deus não registrou essa genealogia.

Deus, em não registrar esses nascidos, mostra a profundidade do pecado cometido, a ponto de atingir a todos os descendentes com a perda da Imagem, da imortalidade, e com a omissão da genealogia. Gn 3,17 – “Maldita a terra por sua causa …”.

Houve um principio transcendental de contaminação que levou os descendentes de Adão e Eva nascidos antes da queda – chamados Filhos de Deus (Gn 6,2.4) – a perderem a Imagem, a Imortalidade e o Registro da Genealogia.

Existe, porém, um principio transcendental de purificação que restaura o imortalidade e a condição de Filhos de Deus, por intermédio da Graça – Jesus Cristo.

“Pois como em [Adão] todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados.” 1º. Cort 15,22.

O PECADO:

Quem pecou foi Adão, como seus descendentes nascidos antes do pecado foram atingidos, a ponto de perderem a Imagem (Imortalidade), e, como Adão passou este mal para nós. Não existe explicação humana para este fato transcendental.

A contaminação de Adão pelo mal e a purificação pelo Sangue de Jesus, eliminando o mal, é um ENIGMA que somente na Eternidade poderemos entender claramente.

Quem pecou (contaminou-se) primeiro foi Eva, mas Deus disse que em Adão estava o problema do mal, que tornou a terra maldita – “E ao homem disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei dizendo: Não comerás dela; maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida.” – Gn 3,17.

Eva certamente iria morrer sem maiores conseqüências para nós, se Adão não tivesse desobedecido – Pecado – comido e contaminado-se. Esta é a conclusão que a afirmação de Deus nos dá entender: “… maldita é a terra por tua causa” – por causa de Adão.

Pense nisso:

Adão foi criado com cerca de 18 elementos químicos existentes na Tabela Periódica de elementos químicos que estão presentes na natureza orgânica e inorgânica do Universo.

Adão estava ligado diretamente ao mundo físico e espiritual, em Deus. Espiritual, pois era uma espécie de Sumo Sacerdote intercessor.

Outro detalhe que merece muita atenção esta no fato de Adão ter recebido o Sopro de Vida (Alma e Espírito) de Deus (Gn 2,7). Tudo indica que através do espermatozóide está a “essência” da alma e do espírito, que transmitida de geração em geração, e se forma juntamente com o corpo, durante a concepção e gestação, na mulher.

Eva foi criada a partir de Adão, enigmaticamente e transcendentalmente.

Deus não diz que soprou a Alma e o Espírito em Eva.

Creio não ser exagerado relacionar a criação de Eva, por Deus, como algo quer a Ciência Genética esta pesquisando, e, contrariando a ordem de Deus de crescer e multiplicar, e não clonar.

Agricultura e a Pecuária.

A arquitetura mostra que o Homo Sapiens (Homem atual) “surgiu” na terra por volta de 10.000 anos atrás.

A agricultura e a Pecuária são os vestígios mais evidentes de sua atividade, a partir dessa data (8.000 anos aC),

A bíblia afirma que Deus criou um Jardim e mandou o homem (Adão) a lavrar e o guardar (Gn 2,15), bem como, dominar os animais (Gn 1,28).

Adão, ao que tudo indica, tinha uma inteligência ao nível de toda a capacidade cerebral que hoje o Homem não tem, e ensinava a arte de lavrar a terra e criar animais, aos seus descendentes ainda no Éden.

Deus conversava e ensinava a Adão (Gn 2,19; 3,8).

Como a ciência afirma que a agricultura e a pecuária eram do conhecimento do homem por volta de 8.000 aC., em varias zonas do mundo, tudo indica que os nascidos de Adão e Eva ainda no Jardim do Éden, foram emigrando co  o conhecimento adquirido de Adão e enchendo a terra como Deus ordenara (Gn 1,28).

Por volta do ano 4.000 aC. Quando aconteceu de Adão e Eva serem expulsos do Paraíso (Éden) e Caim e Abel nasceram, um foi lavrador e o outro pecuarista (Gn 4,2), numa prova de que estas atividades já eram amplamente desenvolvidas pelos descendentes de Adão e Eva antes da Queda (pecado).

Preste atenção! Caim viveu por volta do ano 4.000 aC., aproximadamente, e a ciência afirma que já por volta do ano 8.000 aC., a agricultura e a pecuária eram amplamente conhecida e praticadas no Oriente Médio – Atlas da Historia Universal – região onde Caim foi habitar quando matou seu irmão Abel.

Node, região onde Caim foi habitar (Gn 4,16) ficava próximo ao Golfo Pérsico (Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia).

Caim é um exemplo claro de escolha de que conheceu Deus de perto e seguiu o caminho da perdição (Gn 4,7).

O mesmo aconteceu com Judas Iscariotes que durante três anos conviveu com Jesus.

Categories:   Aconselhamento, Destaque, Pastorais

Comments